terça-feira, 20 de setembro de 2016

Frederico Morais para a GrandVision

Frederico Morais
Nikon D800
300 mm F: 2.8 Nikon
Lightroom CC



Ainda hoje falava com alguém que gosta de fotografia, veio á baila o tema de quem usa filme ou não , porquê ser conservador, porquê usar caminhos diferentes dos convencionais.

Eu cá, tenho a minha opinião sobre o assunto, por vezes mal interpretada, sim, eu rendi-me á facilidade do digital e ao trabalho que exige na sua edição, conhecimentos dos programas, cuidado a lidar com os ficheiros...normalmente quem lida pontualmente com a fotografia, nem imagina o que é necessário para tratar um ficheiro com o carinho que merece e que nos permite fazer ampliações sem estragar os ficheiros.

O facto do mercado editorial se estar a extinguir, leva a que o nosso trabalho de foto-reportagem tenha mais dificuldade em ser publicado..por falta de páginas, claro!


Esta imagem é resultado de uma pequena reportagem com o surfista Frederico Morais, fui avisado com pouca antecedência, pouco budget e nenhuma produção .


Era o Frederico como é , nada mais...a sua prancha , a paisagem do Guincho onde ele treina.

O Luís Paixão assistiu e utilizei a Nikon D800 com uma objectiva de 300 mm da Nikon que utilizo nestas ocasiões para poder desfocar e comprimir o fundo para recortar melhor o modelo, neste caso o Frederico.


Revelei em Lightroom e controlei níveis e saturei um pouco o céu aproveitando a generosa latitude do sensor,  nada mais...

Utilizámos um  flash  para compensar a luz na cara do Frederico e causar algum impressionismo ao rosto..

O modelo era optimo, simpático e sempre disponível, o que facilitou a reportagem.




segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O erros mais comuns dos amadores de fotografia part I

Há pouco tempo estava a ler um artigo no NY times sobre os erros mais comuns dos fotógrafos amadores.

Achei interessante, muito embora não tivesse concordado com alguns deles.



Vai daí vou destacar algumas que eu penso que sejam importantes e para hoje são as primeiras 3 dicas do que os amadores normalmente fazem de errado quando fotografam com uma SLR.


1-Não usar o manual devidamente nem as vezes necessárias:

 As câmeras SLR, são as que tem o pentaprisma e que permitem ver a imagem correcta no visor, normalmente estas máquinas têm além dos programas a modalidade de Manual.

Esta modalidade convém ser seleccionada quando se entende a luz e a fotografia na sua essência , mas é a modalidade que se utiliza quando queremos controlar totalmente o efeito na imagem que se pretende.

Captar cenas com dinâmica e velocidade deverá ser Manual ou em S , que é a prioridade á velocidade, esta última uma versão semi automática em que o fotógrafo utiliza a velocidade que pretende em função do que está a fotografar. 




2- Utilização de aberturas pequenas ou diafragmas fechados.

Esta função é muito utilizada quando se pretende uma paisagem muito focada desde o primeiro plano ao finito.  Neste caso devemos escolher aberturas mais pequenas como F:11 , 16... dependentemente da lente que estamos a usar, as grandes angulares têm campos de profundidade maiores comparativamente ás tele-objectivas.

Quando se fotografa retratos ou objectos, podemos então controlar o diafragma para aberturas maiores e deixar o foco mais limitado ao objecto que se pretende, criando um campo de profundidade menor e mais destaque ao que se pretende.



3- Utilização do flash incorporado das SLR

Este flash é muito limitado no seu alcance e angulo, normalmente as objectivas de série trazem pára-sol que ao estar na objectiva interfere a a sua sombra fica registada na fotografia.


Outro pormenor é que a sua pouca potência , normalmente não serve mais do que para um retrato  ou para encher com luz uma situação de interior, no exteriores estes flashes não servem absolutamente de nada já que não têm potência suficiente para cobrir nem alcançar distancias mesmo curtas, ao qual é agravado com a pequena abertura máxima que as objectivas de série destes modelos mais populares.

Quando um Smartphone substitui a câmera

Confesso que tenho andado com pouco tempo para escrever neste blogue, tenho muitas visitas, mas poucos seguidores, os que tenho são dos melhores e agradeço desde já algumas mensagens que recebo.

É verdade que os Blogues estão decadentes, o Facebook , é mais rápido mas efémero, mas que até aí estamos todos a chegar á mesma conclusão...da minha parte, vou reiniciar-me na Slow talk , está para a conversa como a Slowfood para a gastronomia..não sei se existe, mas apeteceu-me inventar algo que me dê algum alento para escrever sobre a fotografia.



Imagem capturada pelo Iphone 6
Editada e convertida a P&B no Photoshop 



Sempre me vi como um quase puritano da fotografia, aderi ao digital desde o inicio, mas procurei sempre basear-me no principio do filme...beneficiar desse conhecimento e da facilidade do digital.

Algumas coisas não me correram assim tão bem... ora se o filme demorava um dia para ver resultados, no digital foi o retorno ao laboratório, horas a editar e a revelar os negativos digitais.
Durante anos especializei-me em cor e em diapositivos...enquanto todos exibiam arte a preto e branco , eu via tudo a cores...sei que sempre tive essa particularidade...perceber a cor..ver as luzes que dançam á nossa frente..que procuro registar seja qual for a plataforma, seja ela em negativo,  positivo, agora em formato digital.

Sem me querer alongar muito, ao fim de anos com máquinas pesadas, em que a Leica era senhora pelo peso e qualidade e mais tarde a Contax, que durou pouco já que foi atropelada pela era digital, finalmente a Fuji permitiu-me a satisfação de poder ter pouco peso e muita qualidade.

Os smartphone , de que sou cliente desde o primeiro Nokia, e depois do Iphone 3 em que a qualidade fotográfica veio sendo melhorada, conforme a tecnologia permitia fui surpreendido , como se pode ler mais atrás , pelo Nokia Pureview que me proporcionou uma tarde fantástica com um telefone/camera .

Entretanto desde aí, ás vezes, e normalmente na praia, sou apanhado sem câmera , não gosto de deixar as coisas na toalha e ir tomar banho descansado enquanto sei que tenho câmeras e objectivas na mochila de praia, portanto, quando sou surpreendido, tenho o telefone , com o qual faço meros registos para mais tarde recordar.

Actualmente tenho o iPhone 6, parece que tem 8 mix de sensor, sinceramente não quero muito saber, nem vejo esses detalhes nos iPhone, são aquilo que são, um telefone que a maior parte das pessoas usa como Sefie-maker, portanto a objectiva da frente.

Na ultima semana, sem camera, estava na praia a passear quando um mar gigante de gaivotas pousou mesmo á minha frente, quase era impossível andar..sem câmera com objectivas, vi-me então limitado a usar o iPhone , quase sem bateria, no meio de uma conversa ao qual adiei o final ..e fiz umas quantas "chapas" palavra que detesto, mas que considerando a utilização de um smartphone...adequa-se... fiquei surpreendido quer pela resolução, quer pela definição, atendendo que tem uma objectiva mínima, foi incrível ..lá diria o outro, não interessa o tamanho, mas o que se faz com ...


Imagem capturada pelo Iphone 6