quinta-feira, 5 de julho de 2012

Experiência Nokia 808 Pureview- Parte 2

Ainda o ensaio com o Nokia 808 estava no inicio, e passava para o enquadramento ao alto, o meu objectivo é o trajecto até ao Terreiro do Paço pelo que o passo seguinte é o elevador da Glória, célebre em imagens de Lisboa, uma tentação, essencialmente porque está sempre á espera de ser fotografado,  muito vaidoso.  Neste caso o elevador, dava-me jeito, com cor, existia um misto de altas e baixas luzes que me permitiam muito bem perceber a latitude do sensor face a situações de luz complicadas.

Fotografia: Nokia 808 Pureview- Automático- 1/370s, F: 2,7 Iso 64- 
Software Photoshop CS4 - Correcção de níveis, correção minima de cor selectiva, ( amarelo)
copyright: Filipe Pombo Photography

O declive e as linhas electricas davam-me as diagonais necessárias á composição, que teria ser básica uma vez que não estou habituado a enquadrar com visores de LCD e sem olhar pelo prisma,  gostei do pormenor do turista estar igualmente interessado em captar o elevador , e da esquadria  a coincidir com as linhas do elevador,
Em relação ao  Modo de programa escolhi  o SCENES , em automático , já que a minha preocupação era familiarizar-me com a câmera do Nokia, o resultado pareceu-me muito interessante, com contrastes suaves e uma latitude razoável.
Pode-se verificar uma alta luz com perca de detalhe nas janelas á esquerda e a zona de sombra equilibrada. Claro que o edifício contribuiu para equilibrar a luz uma vez que o sol a bater na sua parede acabou por se refletir em toda a zona criando uma luminancia muito interessante.

Descendo mais um pouco na rua, no Largo da Misericórdia continuei no Modo Scenes AUTOMÁTICO, um modo básico que deve ter em conta a temperatura de cor da luz solar,  com o contraste  do sol a bater nas paredes do edifício  , pareceu-me que o resultado a P& B fosse mais agradável mas como prefiro pessoalmente editar o P&B no computador em vez de determinar logo que seja fotografado  logo limitado na máquina.
Fotografia: Nokia 808 Pureview- Automático- 1/350s, F: 2,4 Iso 64- 
Software Photoshop CS4 - Passagem a P&B , Unsharp e contrastes.
copyright: Filipe Pombo Photography
Aqui como continuei em modo automático , as imagens estão em 5Mpx, mas com uma qualidade muito boa, contudo com um campo de profundidade muito pouco aproveitado

Não aprecio muito o facto do automático dar prioridade á velocidade de disparo, pelo que numa situação como esta em que a velocidade não era fundamental, estava em fotografia urbana era escusado uma velocidade como 1/350s e uma abertura de F:2,4, fiquei a perder no campo de profundidade , aqui será um dos pontos negativos, talvez escolhendo o MODO SCENES LANSCAPES,

Nota positiva para o detalhe, latitude do ficheiro, e leitura.
Para a pouca distorção da objectivaEcran LCD com rigor .
On/Off rapido e delay quase inexistente para instantâneos.
Formato panoramico
Cores reais
Nota negativa para a falta de controlo manual e noção dos valores de disparo e do campo de profundidade por ausência de detalhes.
Tamanho reduzido do ficheiro face ao esperado, mas suficiente para mais tarde recordar ou partilhar pela internet..
Estar limitada ao formato JPEG comprimido, o que resulta numa perda de qualidade.

Experiência Nokia 808 Pureview- Parte 1

Por norma , ou por defeito profissional, não tiro fotografias com telemóveis, são desajeitados, não têm comandos adequados, e detesto estar a enquadrar pelo LCD, tudo isto me leva a que só mesmo em caso de necessidade pegue no meu telemóvel para registar imagens, ou mesmo que adquira um telefone com não sei quantos megapixeis, porque sei á partida que não darei utilidade
.
Talvez por saber disto o meu amigo Pedro Oliveira diretor  da Exame Informática, decidiu provocar-me com um desafio que não consegui recusar, testar sob o ponto de vista de fotografo profissional uma novidade da Nokia, o 808 Pureview, tanto quanto pude verificar,  uma máquina fotográfica com o telemóvel como acessório. Quando abri a caixa e vi o aparelho, depressa percebi que estava com algo nas mãos que apresentava 41 Mpx de resolução efectiva e lentes Carl Zeiss, em que o volume não era mais do que uma pequena máquina compacta , e com o tal telemóvel acoplado. Este ultimo ignorei porque nem estou disposto a perder os meus contactos , e por outro lado tenho a vida já organizada á volta do IOS, e afinal o que pretendia era ver a qualidade do Nokia enquanto câmera fotográfica , e perceber se afinal já poderia contar com uma câmera para me acompanhar em dias em que não me apetece carregar com mais do que 300 g de câmera :-(

Logo nos primeiros testes, o Nokia revelou-se surpreendente melhor em condições de luz mínimas do que o meu Iphone, o que já me deixou com alguma esperança de estar com um aparelho mais credível no que toca a fotografar.

Já que não tinha viagens agendadas acabei por decidir fazer o teste junto ao estúdio, descer ao miradouro de São Pedro de Alcantra e aproveitar a luz da cidade de Lisboa até ao Terreiro do Paço, parecia um trajecto interessante cuja a luminancia era variável.



Fotografia: Nokia 808 Pureview- 1/250s, F: 2,3 Iso 64-
Software Photoshop CS4 - Correcção de níveis.
copyright: Filipe Pombo Photography


Esta imagem terá sido a primeira que tirei com o Nokia 808 , acabadinho de pisar a zona do miradouro de São Pedro,  a luz ainda forte das 17H não era o ideal, o contraste do turista que olhava o horizonte permitiu-me perceber qual a latitude , por outro lado era interessante ter um panorama cujo o formato definido do Nokia de 16:9 poderia aproveitar. Foi ligar a camera com o botão fisico , esperar ligeiros segundos,enquadrar e disparar no mesmo botão, muito fácil e prático.

Sendo o primeiro contacto com esta câmera, deixei tudo em automático, limitando-me a disparar a máquina e a ajustar apenas o enquadramento tendo o cuidado de que a luz predominante fosse a que me interessava.
Nesta imagem , esse cuidado do enquadramento para a melhor luz era fundamental, já que aparentemente não se consegue definir uma zona de leitura da luz por toque, o que obriga a algum esforço e perda de tempo, pois facilmente a leitura das sombras pode levar á sobre-exposição do horizonte.

Em detalhe:

Fotografia em automático, com cuidado no enquadramento. O Nokia em automático funciona com parte dos píxeis , numa combinação inovadora em que gere os 41 Mpx para maior qualidade que no fundo ficam apenas 5 Mpx , e um ficheiro em JPEG, com um tamanho de ficheiro quando aberto de 15,2 Mb, e 26 X14 cm de tamanho a 300 pdi's.

Como a fotometria é matricial, o resultado foi uma imagem ligeiramente equilibrada com latitude suficiente para conseguir puxar os contrastes e níveis no Photoshop.

Nota positiva para o detalhe, latitude do ficheiro, e leitura.
Ecran LCD com rigor .
On/Off rapido e delay quase inexistente para instantâneos.
Formato panoramico

Nota negativa para a falta de controlo manual e noção dos valores de disparo por ausência de detalhes.
Tamanho reduzido do ficheiro face ao esperado, mas suficiente para mais tarde recordar ou partilhar pela internet..
Estar limitada ao formato JPEG comprimido, o que resulta numa perda de qualidade.